10.04.2013

04/10/2013 DOMTOTAL NOTICIAS

Notícias Direito Direitos Humanos

02/10/2013  |  domtotal.com

Casos de negligência são maioria entre denúncias de maus-tratos a idosos, diz Maria do Rosário


Por Ivan Richard

O enfrentamento à violência contra o idoso deve ser uma tarefa não apenas dos governos, mas também de toda a sociedade, defendeu hoje (2) a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário. Durante comissão geral na Câmara dos Deputados para discutir a violência contra o idoso no Brasil, a ministra fez um apelo para que as famílias participem da luta pela melhoria na qualidade de vida dessa parcela da população.

´Quero fazer um apelo para que sociedade, as famílias tomem para si a causa dos idosos´, discursou a ministra. Segundo ela, nos últimos dois anos, das mais de 50 mil denúncias recebidas pelo Dique 100 relacionadas a maus-tratos contra os idosos, a maioria foi relacionada à negligência no cuidado com os mais velhos. ´O perfil das denúncias indica que o maior número de vítimas são mulheres e têm entre 76 e 80 anos de idade´, frisou Maria do Rosário.

De acordo com a ministra, o Brasil está passando por uma ´grande e rápida mudança´ no perfil etário da sua população. ´A mudança que o Brasil tem hoje, em termos de envelhecimento da população, na Europa esse processo demorou 100 anos. Já no nosso país ocorrerá em 40 anos. Estamos vivendo mais, mas o desafio é viver mais, com qualidade de vida.´

Durante o debate sobre a violência contra o idoso, diversos deputados defenderam a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 555 de 2006, que acaba com a contribuição previdenciária dos servidores públicos inativos. ´Essa contribuição também é uma violência contra o idoso´, avaliou o deputado Faria de Sá (PTB-SP).
Agência Brasil

04/10/2013 POST

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Carta Magna de 1988

No dia 05 de outubro, a carta magna brasileiro de 1988, comemora aniversario 25 anos de promulgação, na epoca o presidente da camara dos deputados era Ulisses Guimarães, 1º vice presidente Mario Benevides, 2º vice presidente Jorge Arbage, 1º secretario Marcelo Cordeiro, 2º secretário Mario Maia, 3º secretario Arnaldo Faria de Sá. De lá para cá varias emendas foram feita na constituição federal.

04/10/2013

Comissão aprova ampliação de lista de doenças incapacitantes para o trabalho

04/10/2013 NOTICIAS SINDOJUS MG

PEC 555/2006

Proposição prevê o fim da contribuição previdenciária dos aposentados e pensionistas
Na comissão geral sobre violência contra idosos, os deputados Rubens Bueno (PR), líder do PPS, Arnaldo Faria de Sá (SP), líder do PTB, e Onofre Santo Agostini (PSD-SC) defenderam a aprovação, pela Câmara, da votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 555/06, que acaba com a contribuição previdenciária dos servidores públicos inativa.
“Essa contribuição também é violência contra o idoso”, disse Faria de Sá. Para Agostini, os idosos não têm que contribuir para a Previdência, porque “já contribuíram muito para o País”.
Rubens Bueno e Arnaldo Faria de Sá acrescentaram que a violência contra o idoso em geral é invisível, sendo o abuso financeiro uma das formas mais comuns dessa violência. Bueno defendeu uma política mais efetiva de conscientização da sociedade para a necessidade de respeito ao idoso.
Estrutura das cidades: Já a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), relatora do Estatuto da Pessoa com Deficiência (PL7699/06), destacou a falta de infraestrutura e de planejamento das cidades para receber os idosos. Ela ressaltou que estudo da Secretaria de Estado de Saúde, de São Paulo, mostra que, a cada hora, três idosos são internados em hospital público por conta de queda na rua.
A parlamentar defendeu ainda uma política pública que preveja cuidadores para idosos e informou que já apresentou projeto de lei nesse sentido.
Participe do debate: Quem quiser pode enviar perguntas aos deputados ou fazer comentários sobre o debate pelo Disque-Câmara (0800 619 619) ou pelo e-Democracia.
Fonte: Agência Câmara de Notícias

04/10/2013 Via Sacra Ecumênica do Idoso

Aposentados 4/10/2013 10:1:27 » Por Richard Casal Atualizado em 4/10/2013 10:44h

Via Sacra Ecumênica do Idoso alcança grande repercussão nacional

Evento inédito em Brasília uniu católicos e evangélicos em defesa dos aposentados

RSS


 
Diversos jornais, sites, blogs, rádios e redes sociais repercutiram de forma positiva o grande êxito da 1ª Via Sacra Ecumênica do Idoso, realizada em Brasília na última terça-feira. O evento inédito foi comentado até em outros continentes. 
Enfrentando estradas perigosas ou voos turbulentos, centenas de aposentados de diversos estados participaram deste ato: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Bahia, Alagoas, Pernambuco, Santa Catarina, Paraíba e Distrito Federal.
A encenação da Via Sacra começou às 19h30. Unidos pela fé, padre Jeová Bezerra e a pastora Roni subiram num caminhão de som e narraram as 14 estações, encenadas ao redor da Praça das Bandeiras. Foi um lindo espetáculo, marcado pela emoção e perseverança.   
Os aposentados caminharam carregando velas acesas e cruzes com fotos dos 513 deputados federais brasileiros. Os idosos se revezaram para suportar o peso de uma grande cruz de madeira produzida pela COBAP.
O objetivo da Via Sacra era sensibilizar os parlamentares para que desengavetem os projetos dos aposentados. Porém, somente um deputado teve a coragem de participar: Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP), que mais uma vez deu exemplo de dedicação total aos aposentados.
Encerrada a Via Crucis com chuva, em plena escuridão, os aposentados sentaram no gramado e comeram marmitas fornecidas pelos parceiros da COBAP.
 

04/10/2013 Encontro de Aposentados e Pensionistas

Mais Notícias

Deputado Arnaldo Faria de Sá confirma presença no Encontro dos Aposentados e Pensionistas

O deputado federal, Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP), confirmou presença no Encontro de Aposentado e Pensionistas que será promovido pela DS/SP. Além do parlamentar, o evento terá a presença do presidente da DEN, Pedro Delarue.

Durante trabalho parlamentar na Câmara dos Deputados, o diretor de Comunicação da DS (Delegacia Sindical) São Paulo,  Walter Cestaro, visitou o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP). Durante o encontro, Cestaro convidou o parlamentar para comparecer no Encontro dos Aposentados e Pensionistas.   O deputado disse que ficou honrado com o convite e que estará presente no evento.
Além  do deputado, o Encontro de Aposentados deve contar com a presença do presidente da DEN (Diretoria Executiva Nacional), Pedro Delarue.
Encontro de Aposentados e Pensionistas – Este mês, o  tradicional evento promovido pela DS/SP terá como tema as PECs 555/06 (prevê o fim gradual de contribuição previdenciária para aposentados e pensionistas), 443/06  (fixa subsídios das carreiras da Advocacia-Geral da União e das procuradorias dos Estados e do Distrito Federal em 90,25% do subsídio mensal fixado para os ministros do STF), 147/12 (prevê que a carreira de Auditoria da RFB e do Trabalho, além de servidores do Banco Central recebam subsídio equivalente a 90,25% da remuneração de ministro do STF) e a 240/13 (estabelece o teto salarial da carreira de delegado da Polícia Federal em 90,25% do subsídio pago aos ministros do STF); o GT Bônus de Eficicência, que aguarda analise do ministro da Fazenda e outros assuntos pertinentes à Classe e, em especial, aos aposentados e pensionistas.
O encontro é uma ótima oportunidade para os filiados aposentados e pensionistas da DS/SP possam se reunir para se informar sobre temas de interesse dos Auditores-Fiscais e confraternizar com antigos colegas. Após a exposição dos temas, será servido um delicioso café da tarde.

Autor: Jornalismo DS/SP

02/10/2013 NOTICIAS SINSJUTRA

noticias

Deputados pedem fim da contribuição previdenciária dos inativos.

Quarta-Feira , 02 de Outubro de 2013
Na comissão geral sobre violência contra idosos, os deputados Rubens Bueno (PR), líder do PPS, Arnaldo Faria de Sá (SP), líder do PTB, e Onofre Santo Agostini (PSD-SC) defenderam a aprovação, pela Câmara, da votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 555/06, que acaba com a contribuição previdenciária dos servidores públicos inativa.
"Essa contribuição também é violência contra o idoso”, disse Faria de Sá. Para Agostini, os idosos não têm que contribuir para a Previdência, porque “já contribuíram muito para o País”.
Rubens Bueno e Arnaldo Faria de Sá acrescentaram que a violência contra o idoso em geral é invisível, sendo o abuso financeiro uma das formas mais comuns dessa violência. Bueno defendeu uma política mais efetiva de conscientização da sociedade para a necessidade de respeito ao idoso.
Estrutura das cidades: Já a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), relatora do Estatuto da Pessoa com Deficiência (PL7699/06), destacou a falta de infraestrutura e de planejamento das cidades para receber os idosos. Ela ressaltou que estudo da Secretaria de Estado de Saúde, de São Paulo, mostra que, a cada hora, três idosos são internados em hospital público por conta de queda na rua.
A parlamentar defendeu ainda uma política pública que preveja cuidadores para idosos e informou que já apresentou projeto de lei nesse sentido.
Participe do debate: Quem quiser pode enviar perguntas aos deputados ou fazer comentários sobre o debate pelo Disque-Câmara (0800 619 619) ou pelo e-Democracia.
"A FORÇA DO SINSJUSTRA É VOCÊ"!
Fonte: Câmara dos Deputados

04/10/2013 Arnaldo Faria de Sá Participa de Vigilia em frente ao Congresso Nacional

Aposentados 4/10/2013 10:44:33 » Por Richard Casal Atualizado em 4/10/2013 10:54h

Perseverantes, idosos promovem Vigília na Praça das Bandeiras

Mesmo após a exaustiva Via Sacra, aposentados amanheceram em Brasília

RSS
 
Revigoradas pelas orações feitas durante a Via Sacra, as caravanas resolveram ficar a madrugada toda na Praça das Bandeiras. Cada um se virou como pode: uns descansaram na grama, outros passaram a noite em claro. Um animado grupo com violão afugentou o sono cantando antigas canções.
Os idosos deram um verdadeiro exemplo de força e determinação, mostrando que apesar da idade avançada e dos problemas de saúde, não desistiram de lutar pelos seus direitos. O Deputado Federal Arnaldo Faria de Sá, acompanhou aposentados e pensionistas nas passagens biblicas, das estações. Arnaldo Faria de Sá esteve sempre à frente da caravana de aposentados e pensionistas que, já tarde da noite e com a chuva chegando ao gramado do Congresso Nacional, não desanimaram e continuaram com sua vigília.
O senador Paulo Paim, no final da noite, se fez presente ao evento.
O presidente da Confederação, Warley Martins, passou mais de 40 horas sem dormir. Ficou a noite toda na Praça das Bandeiras, amanhecendo ao lado dos manifestantes. Logo depois foi até a Câmara dos Deputados acompanhar de perto a reunião da Comissão de Finanças e Tributação, cujo assunto principal era a Desaposentação.

02/10/2013 Portal da Polícia Civil do Estado de São Paulo

Noticias em Geral : Policiais civis lotam a Assembleia Legislativa para comemorar o “Dia da Polícia Civil”
01/10/2013 13:06:00 (2532 leituras)
A sessão solene proposta pelo deputado Itamar Borges lotou o plenário e contou com a presença de policiais de todo o Estado que aplaudiram “de pé” o delegado geral, Maurício Blazeck
Numa iniciativa do deputado estadual Itamar Borges, foi realizada na noite desta segunda-feira (30), no Plenário Juscelino Kubitscheck de Oliveira (completamente lotado), uma sessão solene para homenagear à Polícia Civil de São Paulo que comemorou o “Dia da Polícia Civil”. O evento aconteceu na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), zona sul da Capital. 
A solenidade foi presidida pelo deputado Itamar Borges e contou com a presença do delegado geral, Luiz Maurício Souza Blazeck; do delegado geral de polícia Adjunto, Valmir Eduardo Granucci, do delegado de polícia diretor do Decade, Marco Antonio Desgualdo; do secretário de Estado da Administração Penitenciária, Lourival Gomes; do deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP) e dos deputados, Maria Lúcia Amary, Fernando Capez e Major Olímpio, além do chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Sudeste, general de brigada Carlos dos Santos Sardinha
Itamar Borges abriu a sessão solene e falou do seu carinho e admiração pela Polícia Civil paulista. Ele destacou o importante trabalho da Instituição para garantir a segurança da população e lembrou da comemoração neste 30 de setembro: "hoje estamos aqui não só para comemorar a data, mas também as conquistas e avanços da categoria, sobretudo nos últimos anos".
O delegado geral Mauricio Blazeck, muito feliz e emocionado, agradeceu o apoio que vem recebendo de todos os segmentos, especialmente da Alesp, do governo do Estado e da Secretaria da Segurança Pública. Agradeceu a presença e a participação ativa dos policiais civis e lembrou do momento histórico em que vive a Polícia Civil: Senhores e senhoras, policiais civis aqui presentes, presenciamos um marco histórico na polícia. Tenhamos consciência da relevância do momento e da importância desta união. Não se trata apenas de uma luta de regras, mas de uma conquista moral”.
Muito aplaudido pelos presentes, Mauricio Blazeck encerrou seu pronunciamento dizendo“Este é um momento de reconhecimento esperado por 23 anos. Quero aqui, neste lugar e nesta casa, reiterar os meus votos, como fiz na minha nomeação e posse de delegado geral de Polícia do Estado de São Paulo. Eu acredito que nós poderemos cada vez mais, por isso tudo, falando estrategicamente o necessário e trabalhando muito. Muito obrigado, que Deus abençoe e proteja a todos nós”.
No encerramento dos trabalhos, os policiais cantaram o Hino da Polícia Civil de São Paulo e participaram de um coquetel de confraternização oferecido pela Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Adpesp).

02/10/2013 Informativo COBAP

Aposentados 2/10/2013 7:50:6 » Por Richard Casal Atualizado em 2/10/2013 14:53h

Aposentados cobram atitudes concretas dos deputados em Sessão Solene na Câmara

Caravanas lideradas pela COBAP lotaram o plenário em evento comemorativo aos 10 anos do Estatuto do Idoso

RSS
 
O que era para ser uma solenidade festiva tornou-se um ato reivindicativo. Assim foi definida a Sessão Solene aos 10 anos do Estatuto do Idoso, realizada na manhã desta terça-feira, 1º de outubro, no plenário principal da Câmara dos Deputados, em Brasília.
Os assentos foram tomados por aposentados vindos de diversas regiões do Brasil. A sessão foi presidida pelo deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP), que mais uma vez provou com atos e palavras que permanece firme na luta em defesa dos direitos dos idosos.
Cerca de 30 parlamentares ocuparam a tribuna para falar da antiga conquista do Estatuto do Idoso, externando apoio aos aposentados. Foram pronunciamentos interesssantes, motivadores e repletos de emoção.
Padre Jeová Bezerra, de São José do Rio Preto, foi convidado a ocupar a tribuna e fez uma belíssima reflexão, lembrando que Deus deu uma importante missão a Abraão quando este já tinha mais de 90 anos de idade. O sacerdote deixou claro que os idosos já fizeram muito por essa Nação, mas é bom saber que ainda tem força e vigor para continuar lutando.
O presidente da COBAP, Warley Martins, fez parte da mesa principal. Em rede nacional de televisão, cobrou uma posição concreta e postura mais independente da Câmara dos Deputados. Exigiu que coloquem em votação os projetos dos aposentados: "Quem rouba aposentado vai para o inferno", disse Warley, parafraseando o Bispo da Diocese de Cascavel, no Paraná, que proferiu essa polêmica frase no ano passado.
Encerrando a sessão solne com chave de ouro, Arnaldo Faria quebrou todos os protolocos, mostrando que não tem medo dos poderosos: "Comemorar o que? Não temos o que comemorar. A verdade é essa! Temos que aproveitar essa oportunidade onde nos reunimos para protestar depois. A maioria dos deputados negam seus votos para aprovar os nossos projetos. O idoso não aguenta mais esperar. É preciso colocar já em votação a Desaposentação e os demais projetos. É bom a Dilma tomar cuidado, porque praga de aposentado pega", declarou Arnaldo. 
 

03/10/2013 Parlamentares defendem propostas para beneficiar idosos

03/10/2013 - Parlamentares defendem propostas para beneficiar idosos

Parlamentares defenderam, na Câmara, a aprovação de uma série de propostas para beneficiar a população idosa do Brasil. A expectativa é criar uma pauta específica cujos itens sejam o fim do fator previdenciário (PL 3299/08) e o da contribuição previdenciária dos servidores públicos inativos (PEC 555/06), além da criação de uma política salarial para aposentados que ganham mais de um salário mínimo e da reposição das perdas salariais dessa faixa da população. Também foi defendida a regulamentação da profissão de cuidador (PL 4702/12).

Na avaliação dos parlamentares, a aprovação dessas matérias contribuiria para reduzir a violência contra o idoso no Brasil. O tema foi discutido em debate no Plenário nesta quarta-feira (2).

As propostas de valorização dos aposentados foram defendidas pelos deputados Rubens Bueno (PR), líder do PPS; Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP); Onofre Santo Agostini (PSD-SC); e João Campos (PSDB-GO); e ainda pelo senador Paulo Paim (PT-RS). Paim é o autor da proposta que deu origem ao Estatuto do Idoso (Lei 10.741/03), que completou dez anos ontem (1º). Ele pediu, principalmente, a aprovação pela Câmara dos temas que já passaram pelo Senado: a política salarial para aposentados que ganham mais de um salário, o fim do fator previdenciário e a reposição das perdas salariais.

Para Rubens Bueno e Arnaldo Faria de Sá, a pauta se justifica, uma vez que o abuso financeiro é uma das formas mais comuns da violência contra o idoso. "Essa contribuição (previdenciária) também é uma forma de violência”, disse Faria de Sá.

Comprometimento
Na comissão geral, João Campos cobrou mais comprometimento do Congresso na aprovação de projetos de interesse dos idosos. Na avaliação do deputado, na semana em que se comemora o Dia Internacional do Idoso (1º de outubro), a Câmara deveria pautar propostas de interesse da faixa etária que começa aos 60 anos, o que não ocorreu.

A deputada Flávia Morais (PDT-GO) sugeriu uma reunião de deputados com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, na próxima semana, a fim de apresentar a ele uma pauta favorável aos idosos. Ela anunciou ainda a apresentação nesta quarta de proposta de sua autoria para combater a violência contra os idosos.

Vítimas
Os dados da violência contra o idoso no País foram detalhados pelo deputado Vitor Paulo (PRB-RJ), que sugeriu o debate e é coordenador da Frente Parlamentar em Apoio ao Idoso. Mais de 70% dos casos denunciados por meio do serviço Disque 100 são cometidos por integrantes da própria família.

O serviço, implantado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos, recebeu cerca de 50 mil denúncias nos últimos dois anos. São cerca de 125 queixas de violência contra idosos por dia, sendo 64% das vítimas mulheres. A maior parte das denúncias (75%), ressaltou Vitor Paulo, refere-se à negligência com o idoso.

“O perfil das denúncias indica que o maior número de vítimas são mulheres entre 76 e 80 anos de idade”, acrescentou a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário.

Fonte: Agência Câmara

02/10/2013 Ambito Juridico

Nacional

 
02/10/2013 - 11:50 | Fonte: Câmara Notícias

Deputados pedem fim da contribuição previdenciária dos inativos

 
 
Na comissão geral sobre violência contra idosos, os deputados Rubens Bueno (PR), líder do PPS, Arnaldo Faria de Sá (SP), líder do PTB, e Onofre Santo Agostini (PSD-SC) defenderam a aprovação, pela Câmara, da votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 555/06, que acaba com a contribuição previdenciária dos servidores públicos inativos.

"Essa contribuição também é violência contra o idoso”, disse Faria de Sá. Para Agostini, os idosos não têm que contribuir para a Previdência, porque “já contribuíram muito para o País”.

Assista ao vivo.

Rubens Bueno e Arnaldo Faria de Sá acrescentaram que a violência contra o idoso em geral é invisível, sendo o abuso financeiro uma das formas mais comuns dessa violência. Bueno defendeu uma política mais efetiva de conscientização da sociedade para a necessidade de respeito ao idoso.

Estrutura das cidades
Já a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), relatora do Estatuto da Pessoa com Deficiência (PL7699/06), destacou a falta de infraestrutura e de planejamento das cidades para receber os idosos. Ela ressaltou que estudo da Secretaria de Estado de Saúde, de São Paulo, mostra que, a cada hora, três idosos são internados em hospital público por conta de queda na rua.

A parlamentar defendeu ainda uma política pública que preveja cuidadores para idosos e informou que já apresentou projeto de lei nesse sentido.

Participe do debate
Quem quiser pode enviar perguntas aos deputados ou fazer comentários sobre o debate pelo Disque-Câmara (0800 619 619) ou pelo e-Democracia. Clique aqui e participe!

02/10/2013 AMBITO JURIDICO

Legislação

 
02/10/2013 - 16:20 | Fonte: Câmara Notícias

Parlamentares defendem propostas para beneficiar idosos

 
 
Fim do fator previdenciário e da contribuição de inativos foram algumas das matérias listadas em comissão geral que discutiu a violência contra os idosos. Deputados querem elaborar pauta de prioridades na Câmara.


Parlamentares defenderam, na Câmara, a aprovação de uma série de propostas para beneficiar a população idosa do Brasil. A expectativa é criar uma pauta específica cujos itens sejam o fim dofator previdenciário (PL 3299/08) e o da contribuição previdenciária dos servidores públicos inativos (PEC 555/06), além da criação de uma política salarial para aposentados que ganham mais de um salário mínimo e da reposição das perdas salariais dessa faixa da população. Também foi defendida a regulamentação da profissão de cuidador (PL 4702/12).
Na avaliação dos parlamentares, a aprovação dessas matérias contribuiria para reduzir a violência contra o idoso no Brasil. O tema foi discutido em debate no Plenário nesta quarta-feira (2).
As propostas de valorização dos aposentados foram defendidas pelos deputados Rubens Bueno (PR), líder do PPS; Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP); Onofre Santo Agostini (PSD-SC); e João Campos (PSDB-GO); e ainda pelo senador Paulo Paim (PT-RS). Paim é o autor da proposta que deu origem ao Estatuto do Idoso (Lei 10.741/03), que completou dez anos ontem (1º). Ele pediu, principalmente, a aprovação pela Câmara dos temas que já passaram pelo Senado: a política salarial para aposentados que ganham mais de um salário, o fim do fator previdenciário e a reposição das perdas salariais.
Para Rubens Bueno e Arnaldo Faria de Sá, a pauta se justifica, uma vez que o abuso financeiro é uma das formas mais comuns da violência contra o idoso. "Essa contribuição (previdenciária) também é uma forma de violência”, disse Faria de Sá.
Comprometimento
Na comissão geral, João Campos cobrou mais comprometimento do Congresso na aprovação de projetos de interesse dos idosos. Na avaliação do deputado, na semana em que se comemora o Dia Internacional do Idoso (1º de outubro), a Câmara deveria pautar propostas de interesse da faixa etária que começa aos 60 anos, o que não ocorreu.


A deputada Flávia Morais (PDT-GO) sugeriu uma reunião de deputados com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, na próxima semana, a fim de apresentar a ele uma pauta favorável aos idosos. Ela anunciou ainda a apresentação nesta quarta de proposta de sua autoria para combater a violência contra os idosos.
Vítimas
Os dados da violência contra o idoso no País foram detalhados pelo deputado Vitor Paulo (PRB-RJ), que sugeriu o debate e é coordenador da Frente Parlamentar em Apoio ao Idoso. Mais de 70% dos casos denunciados por meio do serviço Disque 100 são cometidos por integrantes da própria família.
O serviço, implantado pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos, recebeu cerca de 50 mil denúncias nos últimos dois anos. São cerca de 125 queixas de violência contra idosos por dia, sendo 64% das vítimas mulheres. A maior parte das denúncias (75%), ressaltou Vitor Paulo, refere-se à negligência com o idoso.

“O perfil das denúncias indica que o maior número de vítimas são mulheres entre 76 e 80 anos de idade”, acrescentou a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário.