8.13.2009

13/08/2009 Marcha de Protesto

MARCHA DE PROTESTO DIA 19 DE AGOSTO
APOSENTADOS E PENSIONISTAS - LUTEM PELO SEU SALÁRIO - DIA 19 DE AGOSTO - MARCHA DE PROTESTO EM JUNDIAÍ.
Concentração e saída às 10:00 horas de frente a Sede da Associação dos Aposentados. Rua XV de novembro, 1336 , Centro, Jundiaí - telefone 11-4586-1129 4586-1165 Diretoria da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiai e Região aapjr@aapjr.org.br

13/08/2009 PARCIAL - RESULTADO

Você concorda com a imposição do Governo sobre a negociação com a COBAP?
Selecionar Enquete Selecione uma enquete na listaVocê acha que a atual política de Previdência Social no Brasil é justa com quem contribui?Você concorda com a imposição do Governo sobre a negociação com a COBAP?
Você concorda com a imposição do Governo sobre a negociação com a COBAP?
Não 378 98.4%
Sim 6 1.6%
Número de Votos : 384
Primeiro Voto : Qui, 13 de Agosto de 2009 11:40
Último Voto : Qui, 13 de Agosto de 2009 16:44

fonte: www.fatorprevidenciario.com.br

Apoio : PTB

13/08/2009 VOTE E PARTICIPE!!!

P E S Q U I S A
A COBAP - Confederação Brasileira de Aposentado e Pensionistas informa a posição do Governo sobre o reajuste dos aposentados:
- O Governo só aceita apresentar a sua proposta a partir do momento em que a COBAP abrir mão dos 04 (quatro) projetos:
Fim do Fator Previdenciário (PL 3299/2007)
recuperação das perdas (PL 4434/2008)
memsmo reajute do Salário-mínimo (PL 01/2007)
derrubada do veto 16,65% de 2006 (PLC 18/2006)
-> Você concorda com a imposição do GOVERNO?
( ) S I M
( ) N Ã O
Por favor, vote. Precisamos de sua opinião!

12/08/2008 Reunião da Executiva do PTB

Informativo da Liderança do PTB
No início dos trabalhos da reunião da Executiva Nacional do PTB, realizada na manhã desta quarta-feira (12/8) na sede do Diretório Nacional em Brasília, o Presidente do PTB, Roberto Jefferson, após fazer uma homenagem ao senador Fernando Collor por seu aniversário, abriu o microfone para as intervenções dos participantes do Encontro. O primeiro a se manifestar foi o membro do Diretório Estadual do Paraná, Nivaldo Rocha, que também parabenizou o senador Collor, assim como a direção nacional do PTB.
O último orador antes do início da ordem do dia da reunião foi o deputado federal Arnaldo Faria de Sá, do PTB de São Paulo, que agradeceu o empenho de todo o partido na campanha pela extinção do Fator Previdenciário. Arnaldo afirmou que nas reuniões que tem realizado com as entidades de defesa dos aposentados, os pensionistas não se cansam de agradecer o esforço do PTB em encampar a luta em defesa da melhoria de vida da categoria. "Os aposentados estão agradecidos ao trabalho do PTB em favor da categoria, principalmente com a construção do site em defesa do fim do Fator Previdenciário. Parabéns a todo o partido por se engajar de corpo e alma nesta batalha", disse Arnaldo.

12/08/2008 Diário do Comércio e Indústria DCI

Comissão sobre anistia de servidores discute novas audiência

BRASÍLIA - A Comissão Especial da Lei da Anistia, criada para acompanhar a aplicação das leis que concedem anistia a servidores demitidos, se reuniu quarta-feira (12) para leitura do relatório preliminar do relator, deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), e para votação de requerimentos de novas audiências públicas.A comissão apura a aplicação das leis 8.878/94, que concede anistia a servidores exonerados e demitidos irregularmente entre 16 de março de 1990 e 30 de setembro de 1992; 10.790/03, que concede anistia a dirigentes ou representantes sindicais e trabalhadores punidos por participação em movimento reivindicatório; e 11.282/06, que concede anistia a trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) punidos em razão da participação em movimento grevista. A comissão também acompanha a aplicação da Lei 10.559/02, que regulamenta o artigo 8º do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, definindo, por exemplo, quais os direitos do Regime do Anistiado Político.

12/08/2009 PEC 300 de Arnaldo Faria de Sá

Mendonça liderará caminhada sobre a PEC 300
O evento será na cidade do Recife, em Pernambuco no próximo dia 25 de agosto
Informativo da Liderança do PTB


O deputado federal da bancada sergipana (DEM) será um dos líderes da caminhada pela PEC 300/08, que acontecerá dia 25 de agosto, na capital pernambucana, Recife, atendendo ao convite da Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados.
O convite da associação teve a iniciativa de Renílson Bezerra - Coordenador da Associação dos Cabos e Soldados.
A concentração do evento será na Praça do Derby, a partir das 13h, rumo à Assembléia Legislativa de Pernambuco, numa tentativa de sensibilizar a população pernambucana bem como as autoridades para a importância do projeto de autoria do deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP).
Mendonça Prado foi relator da PEC 300/08, que trata da remuneração dos policiais militares e dos bombeiros, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, atestando a admissibilidade da proposta. A proposta tramita na Comissão Especial, onde Mendonça Prado foi indicado membro titular pela liderança dos Democratas.

12/08/2009 Comissão sobre aposentadoria integral para inválidos define agenda

Comissão sobre aposentadoria integral para inválidos define agenda

da Agência Câmara
A comissão especial que analisa a concessão de aposentadoria integral para servidores aposentados por invalidez define hoje seu roteiro de trabalho. A reunião será realizada no plenário 4, às 14h30. Hoje 12/08/2009A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 270/08, em análise na comissão, concede aposentadoria integral, com paridade, aos servidores públicos federais, estaduais e municipais que se aposentarem por invalidez. De acordo com a proposta, apresentada pela deputada Andreia Zito (PSDB-RJ), todos os aposentados por invalidez permanente, em razão de acidente em serviço, moléstia profissional ou doença grave, contagiosa ou incurável, especificada em lei, a partir de 2004, e que tenham ingressado no serviço público até 16 de dezembro de 1998, passarão a receber proventos integrais, com o direito aos mesmos reajustes concedidos aos servidores da ativa (paridade).A comissão especial é presidida pelo deputado Osvaldo Reis (PMDB-TO) e tem como relator o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP).

12/08/2009 Comissão sobre anistia de servidores discute novas audiências

Comissão sobre anistia de servidores discute novas audiências

da Agência Câmara


A Comissão Especial da Lei da Anistia, criada para acompanhar a aplicação das leis que concedem anistia a servidores demitidos, se reúne nesta tarde para leitura do relatório preliminar do relator, deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), e para votação de requerimentos de novas audiências públicas.A comissão apura a aplicação das leis
8.878/94, que concede anistia a servidores exonerados e demitidos irregularmente entre 16 de março de 1990 e 30 de setembro de 1992; 10.790/03, que concede anistia a dirigentes ou representantes sindicais e trabalhadores punidos por participação em movimento reivindicatório; e 11.282/06, que concede anistia a trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) punidos em razão da participação em movimento grevista. A comissão também acompanha a aplicação da Lei 10.559/02, que regulamenta o artigo 8º do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, definindo, por exemplo, quais os direitos do Regime do Anistiado Político.

13/08/2009 Aumento só sairá se 4 projetos forem retirados

13/08/2009
Aumento só sairá se 4 projetos forem retirados
Paulo Muzzolondo Agora

BRASÍLIA -- A reunião na qual o governo prometia apresentar uma proposta de aumento real (acima da inflação) aos aposentados que ganham mais que o mínimo, ontem, terminou sem acordo. A negociação só começará se quatro propostas sobre mudanças nos benefícios, hoje no Congresso, forem barradas.
CUT e Força já aceitam negociar, e Cobap fará enquete em site
Fator 85/95 é consenso, mas falta acertar a regra da contribuição
Era esperada uma proposta com aumento de cerca de 7% (três pontos acima da inflação) para o pagamento em fevereiro. O governo informou que já tem o índice pronto, mas não confirmou os 7%. Todos os projetos que o governo quer barrar são do senador Paulo Paim (PT-RS). O primeiro prevê a extinção do fator previdenciário. O segunda iguala o reajuste das aposentadorias ao do salário mínimo --hoje, os benefícios acima do piso sobem de acordo com a inflação e o mínimo tem ganho real. O terceiro fixa o benefício do INSS em número de salários mínimos --considerando o valor em mínimos da época de sua concessão. Esses projetos já passaram no Senado e agora estão em análise na Câmara. O quarto item que o governo quer retirar, na verdade, é um projeto já vetado pelo presidente Lula. O veto é contra o reajuste de 16,67% (igual ao aumento do piso em 2006) para as aposentadorias com valor acima do piso. O governo teme negociar o reajuste e, depois, ser surpreendido com uma votação no Congresso que mude as regras das aposentadorias. Assim, quer o compromisso de que as centrais não apoiarão mais as propostas --dificultando suas aprovações. ReuniãoParticiparam da reunião de ontem os ministros José Pimentel (Previdência) e Luiz Dulci (Secretaria Geral da Presidência), a líder do governo no Congresso, Ideli Salvatti (PT-SC), o líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS), e o deputado Pepe Vargas (PT-RS), relator da mudança no fator previdenciário. Dos sindicatos, estavam representantes da Força Sindical, da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e da Cobap (Confederação Brasileira dos Aposentados e Pensionistas). Os sindicalistas saíram frustrados. O que ficou acertado é que cada sindicato discutirá a chance da retirada do apoio aos projetos com suas bases e que haverá outra reunião com o governo na terça-feira. A Cobap, em princípio, não aceitou desistir do projeto que fixa as aposentadorias em número de mínimos, recompondo seu poder de compra --o que travou a negociação. Segundo o presidente da Força Sindical e deputado federal, Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o governo se comprometeu a negociar, de forma global, os itens que estão no Congresso. "Precisamos de uma proposta para cada projeto. Temos que saber como ficam o aumento, o fim do fator e a recuperação das aposentadorias.