1.17.2008


Deputado Arnaldo Faria de Sá mantém a evidência


Justificando a crença de que nasceu para fazer política e cuidar do social, o Deputado Federal Arnaldo Faria de Sá mantém contatos permanentes com as lideranças espalhadas pela capital paulista e interior do estado - sem desviar sua atenção dos direitos das pessoas idosas, nem de sua extensa agenda parlamentar.
Com o pensamento voltado 24 horas por dia para os compromissos acumulados e os novos desafios que surgem no exercício de seu 6º mandato de Deputado Federal pelo Estado de São Paulo, Arnaldo Faria de Sá justifica com atos a sua afirmação de que nasceu para fazer política e cuidar do social.
Intercalando visitas habituais pelos bairros da cidade de São Paulo onde quer que seja chamado - e também no interior do Estado – ele atende religiosamente centenas de pessoas todos os sábados em seu escritório de serviços sociais situados junto à estação Jabaquara do Metrô, sem perder o foco de sua agenda de trabalho parlamentar cada vez mais concorrida.
Para se ter uma idéia de sua atenção permanente em relação á toda e qualquer Entidade Social e autoridades Civis e Militares em geral, só a Zona Leste da Capital foi contemplada com 4 visitas de Faria de Sá nos meses de março, abril e inicio de maio/2007: No mês de março ele visitou a Subprefeitura do Itaim Paulista na inauguração do Banco do Povo e em São Miguel, na entrega da Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra inteiramente restaurada à população – cujos eventos ele acompanhou o Prefeito Gilberto Kassab. Em abril ele prestigiou a comemoração do aniversário do Jardim das Oliveiras (no Itaim) e dia 1º de maio compareceu na grandiosa festa dos trabalhadores realizada em Ermelino Matarazzo.
É por isso que o Deputado Arnaldo Faria de Sá é cada vez mais lembrado pela população de um modo geral - em especial pela sua vigilância permanente sobre o ESTATUTO DO IDOSO – o qual considera a “Cartilha da Dignidade”, pois atende os mais elementares direitos de quem já ofereceu sua força de Trabalho em prol da grandeza do Brasil.
Reportagem: Manoel Machado Filho

16/01/2008 10h50 - www.terra.com.br

Cajati tem prejuízo de R$ 6 mi; doação é insuficiente
Cinco dias após o temporal de sábado, que provocou alagamentos na cidade de Cajati, no Vale do Ribeira, o município ainda registra moradores desabrigados e desalojados. Pelo menos 250 permanecem em abrigos da prefeitura, pois tiveram as casas afetadas. O coordenador da Defesa Civil Municipal, Jaimir dos Santos Neves, estima que o prejuízo tenha chegado a R$ 6 milhões.
No total, 6 mil pessoas ficaram desalojadas na cidade e estão retornando aos poucos para suas residências. A situação é mais crítica em um dos bairros, que está sem água desde domingo. "As pessoas não podem voltar, pois não há como limpar as casas", afirmou Neves. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) informou que deve normalizar o abastecimento ainda hoje no bairro.
O município já distribuiu mais de 3 mil cestas básicas, sendo 2 mil provenientes de recursos do município e mil, de recursos do Estado. As doações de cobertores, lençóis, kit de limpeza, agasalho, no entanto, não estão sendo suficientes. "Estamos recebendo assistência, mas o volume de moradores atingidos é muito grande", afirmou Neves. A Defesa Civil Estadual não soube informar a quantidade de doações enviadas à cidade.
Para tentar ajudar a população com material para a reconstrução de casas, móveis e alimentos, a prefeitura abriu uma conta para doações no Banco do Brasil (Agência 4671-X, conta número 2008-7), em nome da Defesa Civil de Cajati. A cidade decretou estado de calamidade pública na segunda-feira.
Peruíbe e JacupirangaA cidade de Peruíbe, que também sofreu com as enchentes do fim de semana, ainda contabiliza 700 desabrigados. As famílias foram retiradas do centro de convenções da cidade e levadas para escolas municipais. Ontem, a cidade recebeu um caminhão com 4 mil t de alimentos e nesta quinta-feira, a prefeitura se preparava com dois caminhões para buscar móveis doados em Santos.
Em Jacupiranga, de acordo com a Defesa Civil municipal, os 30 desabrigados que estavam em alojamentos já retornaram às suas casas. No entanto, a cidade mantém o alerta para uma nova possibilidade de chuva, prevista para o fim de semana.

Extraído da Redação Terra