11.20.2007

14/11/2007 O negócio é avião da Amil

O negócio é avião da Amil

Depois de passar mal na última terça-feira, o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) embarca nesta quarta-feira para São Paulo em um avião da Amil para receber cuidados no InCor-SP (Instituto do Coração) do Hospital das Clínicas. Ontem, o parlamentar passou mal e foi levado ao hospital Santa Lúcia, na Asa Sul de Brasília. Ele afirmou que sofreu arritmia cardíaca e queda de pressão e que foi mal atendido no hospital. Hoje, durante a manhã, ele ficou em repouso no serviço médico da Câmara. O administrador-geral do hospital Santa Lúcia, Sérgio Cruz, confirmou que o parlamentar foi atendido na noite de ontem pelo hospital. "O atendimento feito foi normal. Em momento algum houve falta de atenção com ele, nosso hospital funciona 24 horas." Faria de Sá, no entanto, afirmou que foi obrigado a deixar um cheque caução e se recusou. "Fiz isso não por mim, mas pensando no cidadão comum, que não teria condições de deixar o cheque."

14/11/2007 Arnaldo Faria de Sá passa mal e reclama do atendimento em hospital no DF

O deputado Arnaldo Faria de Sá, do PTB de São Paulo, embarcou nesta quarta-feira para São Paulo em um avião da Amil para receber cuidados no InCor-SP (Instituto do Coração) do Hospital das Clínicas. Ontem (13/11), o parlamentar petebista passou mal e foi levado ao hospital Santa Lúcia, na Asa Sul de Brasília. Ele afirmou que sofreu arritmia cardíaca e queda de pressão e que foi mal atendido no hospital.
Nesta quarta, durante a manhã, ele ficou em repouso no serviço médico da Câmara. O administrador-geral do hospital Santa Lúcia, Sérgio Cruz, confirmou que o parlamentar foi atendido na noite de ontem pelo hospital. "O atendimento feito foi normal. Em momento algum houve falta de atenção com ele, nosso hospital funciona 24 horas."
Faria de Sá, no entanto, afirmou que foi obrigado a deixar um cheque caução e se recusou. "Fiz isso não por mim, mas pensando no cidadão comum, que não teria condições de deixar o cheque."
O hospital negou que tenha sido exigido o cheque caução, mas sim que foi pedido um depósito, uma vez que não mantém contrato de convênio com a Câmara dos Deputados.
fonte: Folha Online

14/11/2007 - 15h19 Após passar mal, Faria de Sá embarca para SP em avião da Amil

14/11/2007 - 15h19
Após passar mal, Faria de Sá embarca para SP em avião da Amil
Publicidade


RENATA GIRALDIda Folha Online, em Brasília
O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) embarca nesta quarta-feira para São Paulo em um avião da Amil para receber cuidados no InCor-SP (Instituto do Coração) do Hospital das Clínicas.
Ontem, o parlamentar passou mal e foi levado ao hospital Santa Lúcia, na Asa Sul de Brasília. Ele afirmou que sofreu arritmia cardíaca e queda de pressão e que foi mal atendido no hospital.
Hoje, durante a manhã, ele ficou em repouso no serviço médico da Câmara. O administrador-geral do hospital Santa Lúcia, Sérgio Cruz, confirmou à Folha Online que o parlamentar foi atendido na noite de ontem pelo hospital. "O atendimento feito foi normal. Em momento algum houve falta de atenção com ele, nosso hospital funciona 24 horas."
Faria de Sá, no entanto, afirmou que foi obrigado a deixar um cheque caução e se recusou. "Fiz isso não por mim, mas pensando no cidadão comum, que não teria condições de deixar o cheque."
O hospital negou que tenha sido exigido o cheque caução, mas sim que foi pedido um depósito, uma vez que não mantém contrato de convênio com a Câmara dos Deputados.
"É um procedimento comum a qualquer paciente, não fazemos diferença aqui entre um e outro, se é ou não parlamentar", explicou Cruz.

20/11/2007 Seguridade debate aplicação da Lei da Reforma Psiquiátrica

Seguridade debate aplicação da Lei da Reforma Psiquiátrica
A Comissão de Seguridade Social e Família promove na quinta-feira (22) audiência pública para discutir a Lei 10.216/01, que trata da proteção aos portadores de transtornos mentais. O debate foi sugerido pelo deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que pretende esclarecer denúncia de que a lei está sendo ignorada intencionalmente pela Coordenação de Saúde Mental do Ministério da Saúde.A Lei 10.216/01 estabelece os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais. Também conhecida como Lei da Reforma Psiquiátrica, ela institui um novo modelo de tratamento dos transtornos mentais no Brasil, com a extinção progressiva dos manicômios.Um dos objetivos do tratamento do paciente mental, segundo a lei, é a sua reinserção social, sendo a internação indicada apenas quando os recursos extra-hospitalares forem insuficientes. No caso de internação, o paciente deverá contar com a prestação de serviços médicos, psicológicos, ocupacionais, de assistência social e de lazer, entre outros. A lei proíbe a internação em instituições que não ofereçam esses serviços.ConvidadosForam convidados para a reunião:- o presidente da Associação Psiquiátrica de Brasília, Antônio Geraldo da Silva; - o presidente da Associação dos Familiares e Amigos de Doentes Mentais da Bahia, Gilson Irênio Magalhães; - a presidente da Associação de Familiares do Rio de Janeiro, Lídia Nogueira Moreno;- um representante do Ministério da Saúde.